DestaqueEnsino

ISQ Academy – Somos transformação digital e sustentável

Tempo de leitura: 6 minutos

A ISQ Academy foi uma das primeiras entidades formadoras a reagir, devido ao contexto atual, com assertividade e celeridade à necessidade de continuar a formar pessoas em formato e-learning. Os desafios foram diversos mas, Margarida Segard, diretora da ISQ Academy, respondeu com qualidade formativa no upskilling e reskilling , reajustando-se a novos conceitos e prioridades.

Sendo a ISQ Academy uma entidade de reconhecida na área da Formação e Recursos Humanos, como se tem posicionado, ao longo dos anos, no mercado nacional e de que forma se conseguiu distanciar dos seus pares?
A liderança e valor acrescentado da ISQ Academy, que nos permite ter soluções diferenciadoras no mercado, assenta em 2 fatores-chave: 1) Skills intelligence e inovação e 2) soluções holísticas e ágeis de performance e…de felicidade. Skills intelligence e inovação, a ISQ Academy é uma entidade formadora do Grupo ISQ, ou seja, nasce “dentro das empresas” e para as empresas, tendo acesso direto às competências críticas em cada empresa, conseguindo antecipar em cada setor, a curto e a longo prazo, quer em Portugal, quer nos 18 países em que opera como prestador de serviços, parceiro empresarial e de regiões, parceiro de inovação e de Investigação e desenvolvimento. É essa característica singular e robusta, bem como a integração em Redes e Hubs Europeus e Internacionais, que nos permite criar no dia-a-dia inovação em competências, “competências de futuro” e certificações nas áreas mais inovadoras, a ritmos alucinantes. Somo Inovação, somos skills intelligence, somos tecnologia, somos indústria, e somos transformação digital e sustentável. E crescemos e co-criamos com os nossos parceiros e clientes. Através das soluções holísticas e ágeis de felicidade individual e performance organizacional (foco na qualificação, certificação, upskilling e reskilling), a nossa missão é garantir mais competitividade de cada cliente e desenvolvimento de performance através de competências, performance individual e felicidade, de equipa, de empresas e para todos os níveis funcionais: quer funções operacionais, serviços gerais, de produção, de gestão, vendas, serviço ao cliente ou atendimento e de inovação.
O António Saraiva (A.S.), Bussiness Development Manager na ISQ Academy e consultor Talent HR & Talent Management, poderá partilhar mais alguns insights sobre a ISQ Academy.
A. S.: A Consultoria de Capital Humano da ISQ Academy apoia qualquer empresa e contexto de Gestão da Mudança, mesmo numa situação de Gestão da Crise e de controlo de Riscos, como é o caso do cenário pandémico atual. Partimos sempre de um Diagnóstico Organizacional que nos conduz ao desenho e construção de cenários de futuro.
Apoiamos a integração de Pessoas e garantimos soluções de retenção do Talento, com base em inovadores conceitos de análise da Performance e de revisão das políticas de Carreira e de retribuição, incluindo Benefícios. Promovemos o Desenvolvimento de Pessoas, (suporte do Coaching), de Equipas (aderência ao People Engagement) e Formação à Medida. Avaliamos e monitorizamos os resultados, de forma contínua e desenhamos Planos de Comunicação, internos e externos. Este tem sido o nosso enfoque, muito direcionado para esta época de pandemia e sobretudo próximos tempos de crise nacional e global e gestão de impacto do COVID.

Reagiram rapidamente ao revés que assolou todos os setores de atividade mundiais, através da apresentação novos produtos, como a capacitação da ISQ Academy para a formação online. Os resultados obtidos foram os esperados?
A ISQ Academy já tinha no seu ADN “o digital”, existente em todo o Grupo ISQ, o que potenciou um speed up mais disruptivo necessário nesta pandemia. Já usávamos a plataforma digital em muitos cursos, já éramos paper less e gestores de projetos à distância, já eramos produtores de conteúdos de e-learning e gamming com soluções à medida de grandes empresas. Mas com a pandemia tivermos que nos transformar, reinventar, centralizando o digital, as soluções remotas e à distância, criadas e geridas por uma equipa em teletrabalho. Hoje somos B.Line e estamos mais fortes. Foi um enorme desafio para todos os portugueses e trabalhadores no mundo inteiro e correu muito bem no ISQ, sobretudo ao nível das formações tecnológicas com certificações nacionais e internacionais que dependem de muitos equipamentos, ambientes hands on de experimentação, certificações nacionais e internacionais, etc. Outro desafio que tivemos e continuamos a enfrentar foi a capacitação de formadores, grandes peritos temáticos e com reconhecimento no mercado, que demonstram alguma dificuldade em adaptar-se quer aos desafios da tecnologia digital, quer à criatividade e agilidade que tem de colocar nas novas dinâmicas de grupo, individuais, através de plataformas digitais muito robustas ou nas sessões presenciais com muitos constrangimentos de mobilidade e espaço, no âmbito do Plano de Regresso e Desconfinamento. Fizemos muita formação de formadores para garantir o B.line.
Aproveito para referir que os centros de Formação da ISQ Academy têm o selo do ISQ COVID OUT, People Safe, um selo de qualidade e segurança criado pelos peritos de segurança do ISQ, que eu considero único no mercado português, pois não só garante a análise dos espaços, dos recursos, dos materiais, da circulação, sinalética das salas e equipamentos, de acordo com a diretivas internacionais, nacionais e aplicáveis ao setor educação e formação, como cria para o cliente rigorosíssimos Planos de ação, Planos de segurança e monitorização periódica, inclusive com análises on site de COVID, recolhidas nas superfícies mais críticas, com maior contacto diário. Deste processo integrado (segurança, auditoria e planos de ação e laboratórios de análises) resulta, de facto, uma confiança singular no uso dos espaços de formação da ISQ Academy, inexistente em qualquer outro Selo e apreciada pelos nossos formandos e clientes. Para além disso, no Grupo ISQ, houve outros processos de transformações de serviços focamo-nos em respostas necessárias ao COVID, as prioridades alteraram-se. Refiro apenas alguns, nomeadamente: ensaios e certificação dos ventiladores pulmonares, certificação de conformidade de máscaras, Marcação CE e Qualificação de Equipamentos, serviços de consultoria e testes para o desenvolvimento máscaras para o CERN – Centro Europeu de Energia Nuclear, com requisitos muito exigentes e específicos.

Para além de ocupar o cargo de Diretora da ISQ Academy, é vice-presidente da EVBB – Associação Europeia de Centros de Formação e Advisor na Comissão Europeia e na UNESCO – DG Employment, DG Mare. É, frequentemente, oradora e chairman em diversas Conferências nacionais e internacionais, sendo estas focadas nas competências para o Futuro, Gestão de R. H., Transformação Digital, Gestão de conhecimento e digitalização, Emprego e Educação. Dada a sua experiência e conhecimento nestas temáticas, partilhe qual a sua opinião quanto ao futuro da formação e empregabilidade em Portugal e na Europa e se estas mudanças serão positivas e permanentes.
Estamos em tempo de transformação disruptiva na Formação, em Portugal e na Europa. A pandemia COVID, criou uma crise sem precedentes, também na educação, formação e no emprego e por isso precisa de respostas sem precedentes, novas disruptivas. Não se trata de mudar, apenas. Há que transformar, com disrupção nos Sistemas de Formação. O ISQ, através da Associação Europeia da Formação EVBB, e de Grupos de Trabalho em várias DG – Direções Gerais Europeias- e na UNESCO, onde eu tenho diversas funções, tem estado a trabalhar com a Comissão Europeia, e com outros stakeholeders europeus e parceiros sociais, quer ao nível de reforço de dotações financeiras a disponibilizar para a formação de jovens e adultos, quer ao nível de modelos mais flexíveis, ágeis e autónomos, formatados por business e skills intelligence (local, nacional ou internacional), com optimização de recursos digitais (formação online, simuladores, realidade aumentada e virtual, etc) formação de formadores, acessibilidade geográfica e temporal, com inovação e R&D, e valorização e certificação de competências novas, mobilizáveis e internacionais (microcredentials). As competências digitais e verdes devem ser aceleradoras para a nova economia digital e verde. O ISQ já há uns anos que promove esta “batalha” em Portugal e na Europa. Há muito a fazer e os sistemas nacionais e centros de formação não estão preparados, salvo raras exceções. Posso dizer, com muito orgulho, que na ISQ Academy já temos sólidos passos dados neste sentido, pelo que precisaremos de dar “mais uns pulinhos”. A Comissão Europeia lançou, recentemente, com o nosso apoio, uma Nova Agenda de Competências a “Skills Agenda”, na qual colaboramos, desta vez para a competitividade sustentável, justiça social e resiliência. Estamos a trabalhar em diversos programas que vão dar corpo a estas “inovações e disrupções” na formação de jovens e adultos, como é o caso do Pacto para Competências (Pact for Skills ) dos COVE (rede europeia de Centros de Excelência) só espero que os Estados Membros sigam, promovam e sejam disruptivos e céleres o suficiente. O Green Deal e a Agenda EU 4.0 são aceleradores de Novas Estratégias em cada e precisamos destas competências “do futuro” agora. O ISQ está também em Portugal a colaborar com o Estado, grandes empresas e clusters na transformação digital e na Estratégia de Sustentabilidade, e recentemente na do Hidrogénio. Há muito a fazer e só funcionará com parcerias fortes, inovadoras e sustentáveis.

www.academy.isq.pt